O que é drenagem linfática?

A drenagem linfática consta de uma técnica de massagem específica que atua sobre os gânglios linfáticos presentes no corpo. Quando estes gânglios são massageados eles ativam o funcionamento da linfa, um tipo de plasma sanguíneo que carrega  algumas impurezas e bactérias através dos vasos linfáticos. Os vasos linfáticos, por sua vez, atuam como uma rede paralela de veias com fluxo plasmático ou líquido intersticial , que deverão ser filtrados pelos gânglios linfáticos antes de retornarem ao fluxo sanguíneo.

Após a filtragem das impurezas, os nutrientes retornam aos vasos sanguíneos favorecendo a saúde e a imunidade física. Já as impurezas, poderão ser eliminadas através do organismo, urina e suor, e favorecerão o desinchaço, o emagrecimento e, a amenização das celulites.

Este processo natural do corpo é estimulado através da drenagem linfática, que o torna mais eficiente e proporciona resultados rápidos.

A princípio, a técnica de drenagem linfática com as mãos era utilizada somente para fins médicos, com o propósito de curar edemas pós operatórios proporcionados especialmente por métodos de cirurgias plásticas e outros. Atualmente, esta técnica é utilizada também, por massoterapeutas, profissionais de fisioterapia  e profissionais da área da estética.

O que são gânglios linfáticos?

Os gânglios linfáticos fazem parte do sistema linfático que envolve todo o nosso corpo como uma rede de vasos plasmática paralela à corrente sanguínea. Todo o plasma ou líquido leitoso transportado por esta rede de vasos específica, deve passar pelos complexos gânglios com a finalidade de filtrar toxinas e bactérias.

Estes gânglios se localizam em determinadas áreas do nosso corpo como, pescoço, axilas, virilha e região atrás dos joelhos. Eles podem ser estimulados através de massagem e movimentos circulares nas regiões especificadas.

Por serem uma rede complexa e delicada, estes movimentos precisam ser realizados de forma suave para não danificar os gânglios.

Uma maneira simples de identificar um gânglio linfático ou linfonodo é através da observação da íngua. A íngua nada mais é que um gânglio linfático inchado. Este processo indica que os agentes, denominados glóbulos brancos, estão exercendo a sua função e combatendo bactérias infecciosas. A íngua surge devido à infecção da garganta, cortes, e ferimentos pelo corpo.

Algumas vezes estes gânglios podem iniciar uma produção de células com características diferentes das células originais. Esta atividade gera uma desordem no organismo originando o câncer linfático, ou linfoma. As causas da iniciação deste processo de geração de células ainda é desconhecido.

Como surgiu a técnica de drenagem linfática

Os conhecimentos sobre a linfa começaram a se desenvolver na antiguidade. Hipócrates (450 a.C.) já descrevia uma rede de vasos paralela aos vasos sanguíneos devido a observações feitas durante dessecações realizadas em cadáveres.

Já em 1651, Pecquet, famoso anatomista francês, estuda a fundo o sistema de veias com fluxo plasmático e define que o mesmo não realiza filtragem através do fígado e sim em local determinado. O sistema recebe o nome de “Cisterna de Pecquet”.

Outros estudiosos como, Gassend e Thomas Bartholin, também auxiliaram no processo de entendimento sobre o sistema linfático, que só foi testado de fato pelo cirurgião Winiwarter em 1892. Mas a prática da técnica de drenagem linfática como conhecemos hoje, só passou a ser desenvolvida em 1936 pelo casal Emil Vodder e Estrid. Eles utilizavam a estimulação dos gânglios linfáticos para tratar pacientes em estado de gripe crônica, visando potencializar o sistema imunológico.

No ano de 1977, os professores Albert e Oliver Leduc, iniciaram uma adaptação do método do professor Foldi e do Dr. Vodder, através de demonstrações de radioscopia. Eles comprovaram o efeito de aceleração do fluxo linfático pela drenagem linfática manual.

Hoje a técnica de drenagem linfática manual é utilizada em diversos serviços de saúde no mundo todo para o tratamento de diversas patologias.

Drenagem linfática utilizada no pré operatório

A técnica de drenagem linfática manual pode ser utilizada tanto no pós operatório como no pré operatório, embora as pessoas procurem a técnica sempre após o trauma. Acontece que, o organismo e o sistema imunológico podem reagir melhor a uma operação ou intervenção cirúrgica se estiver devidamente preparado .

O que a drenagem linfática pode fazer pelo paciente do pré operatório é favorecer a eliminação de toxinas, ativar a circulação sanguínea, circulação linfática, nutrir o tecido cutâneo e preparar o sistema imunológico. Todos estes benefícios juntos favorecem uma melhor recuperação do paciente com data marcada para cirurgia.

A recuperação nestes casos é menos tensa e os resultados são melhores do que o esperado.

Mulheres grávidas podem  realizar a técnica de drenagem linfática durante a gestação para atenuar o inchaço, a retenção de líquidos, e se preparar para o parto, mas é preciso consultar um profissional massoterapeuta para a realização adequada deste trabalho.

Drenagem linfática no pós operatório

Durante o pós operatório é comum os pacientes desenvolverem edemas. Os edemas constam de excesso de líquidos nas células ou cavidades corporais que podem ser dolorosas. Este líquido precisa ser drenado para que se evite outros problemas como infecção causadas por bactérias.

A massagem aplicada com a técnica de drenagem linfática é capaz de reduzir a retenção de líquidos quando os gânglios são estimulados. Os gânglios favorecem o escoamento de líquidos e a filtragem de bactérias e toxinas que podem surgir após o processo cirúrgico.

As infecções também podem ser combatidas através desta técnica, quando os gânglios são estimulados e os nutrientes são despejados na corrente sanguínea. Estes nutrientes alimentam os glóbulos brancos e os fortalece na luta contra bactérias causadoras de infecções. Assim, o sistema imunológico se torna mais defensivo e a recuperação do paciente pode ser  visivelmente observada.

Estes líquidos podem ser eliminados através da urina e do suor produzido pelo corpo de forma natural. Com a perda de líquidos as medidas do corpo são reduzidas, e os sintomas do edema são amenizados.

A técnica é recomendada principalmente, para mulheres que passaram por cirurgias plásticas e pós parto, mas também pode ser utilizado de acordo com a recomendação médica.

Drenagem linfática reduz a retenção de líquidos

A técnica de drenagem linfática é capaz de reduzir a retenção de líquidos quando os gânglios linfáticos são estimulados. Com a perda de líquidos as medidas do corpo são reduzidas, e os sintomas da retenção são amenizados.

As causas da retenção de líquidos em pontos específicos do corpo podem ser muitas, elas variam desde, alteração hormonal (TPM), gravidez, pressão arterial, excesso de sal nos alimentos, excesso de proteínas no sangue, sedentarismo e má postura, a, problemas renais, problemas cardíacos ou, problemas hepáticos.

Para aliviar os sintomas da retenção de líquidos, nos casos mais simples, é indicado a técnica de massagem de drenagem linfática. Ela atua acelerando a função dos gânglios linfáticos e estimulando o escoamento de líquidos retidos no corpo.

Os resultados podem ser percebidos logo no dia seguinte a aplicação da técnica de drenagem linfática. O líquido é eliminado através da urina e suor.

Para potencializar este benefício proporcionado pela drenagem linfática, convém ingerir uma maior quantidade de líquidos como, água, sucos e chás, além de, manter uma alimentação saudável, sem açúcar e com pouco sal. Exercícios físicos e aeróbicos também ajudam na aceleração do metabolismo e consequentemente na aceleração sanguínea.

Drenagem linfática para pessoas com Tensão Pré Menstrual ( TPM)

Durante o período menstrual da mulher, foi identificado uma alteração na produção de algumas substâncias do organismo que proporcionavam um aumento na retenção de líquidos no corpo, mal estar e tensão. Além da ocorrência natural da alteração hormonal, percebeu-se que a mesma interferia no processo de produção da aldosterona, substância que regula a quantidade de sal no organismo. O sal possui a função de reter líquidos, logo, esta seria a causa da retenção de líquidos durante a menstruação.

Toda mulher sofre com o problema da retenção de líquidos no corpo durante o ciclo menstrual, mas em diferentes proporções, algumas mulheres sentem mais os sintomas da retenção de líquidos enquanto outras, menos. Os sintomas da retenção de líquidos também podem variar durante o ano, e ser sofrido com maior ou menor intensidade entre os períodos. Isto se deve ao tipo de alimento consumido durante o mês e a prática de exercícios físicos.

Durante o período menstrual, recomenda-se alimentos menos condimentados, e com pouco sal, além da ingestão de líquidos como sucos, chás e água. Esta dica serve para melhorar a função dos rins e eliminar mais substâncias danosas.

A técnica de drenagem linfática aplicada nos casos de TPM ou Tensão Pré Menstrual rende excelentes resultados. Quando os gânglios linfáticos são massageados adequadamente promovem a aceleração da função linfática e aumentam o escoamento de líquidos do organismo.

Os líquidos são eliminados através da urina e suor, melhorando os sintomas da tensão no corpo e na cabeça. A cefalia, ou dor de cabeça causada por tensão, é muito comum durante o período menstrual da mulher. Ela prejudica até mesmo atividades do dia a dia.

Drenagem linfática para tratar celulite

A drenagem linfática é uma técnica aplica com o objetivo de reduzir líquidos e toxinas do corpo e consequentemente aumentar a imunidade física. Estas toxinas são, geralmente adquiridas através de alimentos gordurosos, açucarados, salgados ou condimentados que, ao se acumularem nas células causam inflamações conhecidas como celulites. A palavra celulite significa célula inflamada ou infeccionada.

As células se tornam infeccionadas por conta das bactérias que passam a se alimentar da gordura, açúcar e outros elementos acumulados nas células. Dependendo do grau da celulite, elas podem ser dolorosas e precisam ser imediatamente tratadas.

Para atenuar o acúmulo destas toxinas nas células e reduzir o grau celulite, podemos utilizar a técnica de drenagem linfática. Ela atua estimulando os gânglios linfáticos responsáveis por filtrar tais toxinas e fortalecer a ação dos glóbulos brancos que combatem as bactérias.

Há também cremes específicos que ao serem aplicados na região afetada, atuam como termogênicos e auxiliam na liberação da gordura acumulada. Os gânglios linfáticos são constituídos de glóbulos brancos que ao serem massageados são estimulados a combater as bactérias presentes nas células.

Mitos e verdades sobre a drenagem linfática

Alguns dos mais comuns mitos e verdades sobre a drenagem linfática são:

A drenagem linfática emagrece

Mito: A drenagem linfática não emagrece. O emagrecimento está relacionado à perda de gordura corporal e calorias. A técnica elimina a quantidade de líquidos retidos no corpo e colabora para a redução de medidas em áreas específicas o que causa a impressão de emagrecimento.

Drenagem linfática na gestação faz bem para a saúde da mãe e do bebê

Verdade: A drenagem linfática elimina toxinas e alivia a pressão causada pelo inchaço corporal, muito comum em fase gestacional. Acontece que o fluxo sanguíneo da gestante aumenta em 50% durante esta faze, e os líquidos transbordam pelas veias. Dependendo da situação, o organismo não consegue dar conta de filtrar e eliminar todo este líquido, e o retém. Através da drenagem linfática o líquido retido pode ser eliminado aos poucos favorecendo a saúde e o sistema imunológico da mãe. Mas somente um profissional em massoterapia ou fisioterapeuta, poderá aplicar esta técnica em gestantes.

A drenagem linfática não pode ser feita em casa

Mito: Salvo alguns casos, a drenagem linfática feita em casa não interfere na saúde do praticante, principalmente em situações cujo objetivo seja estético. Pessoas doentes, grávidas, ou com câncer não devem praticar a drenagem linfática.

Drenagem linfática alivia os sintomas da TPM

Verdade: Os sintomas da TPM ou Tensão Pré menstrual, se dão através de uma desordem na fabricação de substâncias que aumentam a retenção de líquidos no corpo. A drenagem linfática pode atenuar este sintoma auxiliando no escoamento do líquido retido.

Todas as pessoas podem fazer a drenagem linfática

Mito: a drenagem linfática deve ser evitada por pessoas que sofram de asma brônquica e estejam sofrendo uma crise, pessoas com cardiopatia, que apresentam doenças infecto-contagiosas como síflis ou hepatite, problemas renais, câncer, trombose, febre, pneumonia, doenças de pele, sarcomas e linfomas.

Massagistas podem aplicar a drenagem linfática

Mito: Os massagistas atuam sobre o bem estar corporal e relaxamento dos músculos, não possuem estudo específico sobre o sistema linfático e a sua atuação. Portanto não são capacitados para oferecer diagnóstico ou tratar edemas.